Literatura de Star Wars neste 4 de maio

Hoje, 4 de maio, é feriado para os que curtem a saga e o universo. Neste dia os fãs celebram a cultura criada pelos (e em torno dos) filmes produzidos por George Lucas.

Star Wars logo

Para uns o significado da data reside no movimento social, político e cultural ocorrido em 4 de maio de 1919, na China do pós-Primeira Guerra Mundial, quando cerca de três mil estudantes se reuniram na Praça da Paz Celestial para protestar contra a tímida reação do governo chinês às imposições do Tratado de Versalhes. A mobilização assumiu contornos nacionalistas e anti-imperialistas – o que remete à Aliança Rebelde enfrentando o Império de Vader e Sidious na trilogia clássica.

A origem do dia também deriva de um trocadilho: a frase “Que a Força esteja com você” em inglês (“May the Force be with you“) soa muito parecida com “May the fourth be with you” (“Que o 4 esteja com você”). Historicamente, o trocadilho foi empregado quando da eleição de Margaret Thatcher para primeira-ministra do Reino Unido em 4 de maio de 1979; à ocasião, para festejar a vitória, o partido assim publicou suas congratulações à Dama de Ferro no jornal The London Evening News: “May the Fourth Be with You, Maggie. Congratulations.

Em 2011, a primeira comemoração do Star Wars Day aconteceu em Toronto, Ontário, Canadá, no Toronto Underground Cinema[1].

De minha parte sou um grande fã. Não um conhecedor profundo nem um fanático que adquire tudo que se refere à franquia, mas já vi os filmes bastantes vezes, zerei videogames e joguei online com meus amigos de colégio, e outrora colecionei pelo menos um sabre de luz, action figures e LEGO Star Wars (uma coleção que, espero, meu primo vai herdar). Demais disso, já li algumas histórias do Universo Expandido.

E eis que chego ao cerne deste post. Para quem não sabe, existe todo um segmento da literatura (de boa literatura) dedicado a Star Wars. Trata-se de mais do que mero fanfiction: trata-se de fanfiction oficialmente licenciado. É o chamado Universo Expandido, um conjunto de livros, quadrinhos, videogames, spin-offs, brinquedos – enfim, um vastíssimo aglomerado de entretenimento e informação referentes a Star Wars, fora dos seis filmes de Lucas. (E quando afinal vier um sétimo, não estrague tudo, Disney[2].)

Especificamente no que tange à literatura, há quem considere Star Wars um subgênero da Literatura Fantástica (por exemplo, em http://www.fantasybookreview.co.uk/), com o que concordo, pois são histórias bem escritas, profissionais, épicas e que podem muito bem se inserir numa vertente (não tão hard) da ficção científica.

Star Wars, Universo Expandido

Mas o que narram essas histórias exatamente? Em que elas se diferenciam dos filmes? Bem, ambos têm em comum o tema central, Star Wars (certo, certo, é o óbvio, bem sei). Contudo, enquanto a saga de Lucas cobre 37 anos de trama, o Universo Expandido lida com eventos que se desenrolam ao longo de uns 36.591 anos. Bem expandido, não? (E bem infame minha piada também…). Eis as principais séries.

Star Wars, The Old RepublicA Era Pré-República (? – 25.053 anos antes da Batalha de Yavin (a.B.Y.) em A Nova Esperança, quarto filme). Mencionada em Knights of the Old Republic, enredo de games e quadrinhos, a era vê Rakata, uma espécie bípede proveniente do planeta Lehon, localizado nas Regiões Desconhecidas, estabelecer um império galáctico baseado no Lado Negro da Força. A era termina com o colapso do Império e a instituição da República Galáctica em 25.000 a.B.Y..

 

Darth BaneA Antiga República (25.053 – 1.000 a.B.Y.). Nesta era os Jedi são numerosos e mantêm a ordem na galáxia, como guardiões que são da paz e da justiça.

Os quadrinhos Tales of the Jedi têm lugar nesta época, abordando as guerras entre os Jedi e os Sith de outrora. O arco do personagem Darth Bane, elaborado nos romances de Drew Karpyshyn, também se desenvolve no mesmo período. Outras obras que se encaixam aqui são: Lost Tribe of the Sith e Knight Errant, de John Jackson Miller; e Red Harvest, de Joe Schreiber.

 

Jedi ApprenticeA Ascensão do Império (1.000 – 0 a.B.Y.). A era se passa à época da nova trilogia, logo depois da aparente derrota dos Sith. Narra a corrupção do Senado e os escândalos daí ocorridos. O Lorde Sith Darth Sidious, sob o disfarce de Senador Palpatine, orquestra sua ascensão ao posto de Supremo Chanceler, enquanto pessoalmente arquiteta as Guerras Clônicas. Ao final, prometendo reunir a galáxia sob uma Nova Ordem, ele promove o extermínio da maioria dos Jedi.

Outbound Flight

Obras: Jedi Apprentice, de Dave Wolverton e Jude Watson, que conta as aventuras do jovem Obi-Wan Kenobi e seu mestre Qui-Gon Jinn; The Rise and Fall of Darth Vader, de Ryder Windham, com a história completa de Anakin Skywalker; Jedi Quest, de Jude Watson, que relata o treinamento de Anakin por Obi-Wan, entre os filmes I e II; Outbound Flight, do bestselling Timothy Zahn; livros sobre a história de Han Solo (por A. C. Crispin), Luke Skywalker (Ryder Windham) e Lando Calrissian (L. Neil Smith); entre inúmeras outras.

 

Galaxy of FearA Rebelião (0 a.B.Y. – 4 anos depois da Batalha de Yavin (d.B.Y.)). Era da trilogia original, que se inicia com a vitória dos Rebeldes sobre a Estrela da Morte e finda com a morte do Imperador acima da lua de Endor. Tem-se então a reestruturação do governo até o surgimento da Nova República.

Obras: Galaxy of Fear, de John Whitman, para os jovens leitores; The Bounty Hunter Wars, de K. W. Jeter; entre outras.

 

X-wing

A Nova República (4 d.B.Y. – 25 d.B.Y.). Uma vez derrotado o Império na Batalha de Endor, a Aliança Rebelde se transforma de uma força de resistência num governo galáctico efetivo. Os territórios antes pertencentes ao Império são reconquistados, enquanto a Nova República vivencia turbulências, tendo de lidar com insurreições, agentes leais ao Império e senhores da guerra recalcitrantes.

The Thrawn TrilogyTambém, Luke Skywalker, o último dos Jedi, começa a reconstruir a ordem e a treinar novos aprendizes. Obras: X-wing, de Michael A. Stackpole e Aaron Allston, sobre as aventuras do Esquadrão Rebelde após o fim do Império; The Thrawn Trilogy e The Hand of Thrawn, de Timothy Zahn, ambas as séries aclamadas pelos fãs; Young Jedi Knights, de Kevin J. Anderson e Rebecca Moesta, para os jovens leitores; entre outras.

 

A Nova Ordem Jedi (25 – 40 d.B.Y.). Agora com os Cavaleiros Jedi alcançando o número de uma centena, a Nova República assina um tratado de paz com os restos do Império. Após décadas de guerra, a galáxia finalmente desfruta de paz… ou não.

The New Jedi Order

Obras: série The New Jedi Order, de vários autores (incluindo R. A. Salvatore, conhecido na Literatura Fantástica), narrando a invasão dos Yuuzhan Vong, criaturas egressas de fora da galáxia; e a trilogia The Dark Nest, de Troy Denning, que fala sobre a expansão da espécie insectóide denominada Killik, evento que precedeu o enredo de The New Jedi Order.

 

LegacyLegado (40 – 138 d.B.Y.). Estabelecida a paz com os Yuuzhan Vong, a recém-criada Federação Galáctica das Alianças Livres se empenha em manter-se organizada como um governo coeso. Mas às ameaças de esfacelamento interno se junta o perigo que advém dos remanescentes do Lado Negro, dos quais pode surgir um novo Lorde Sith, mais poderoso do que Vader ou Palpatine. Na série Legacy of the Force (de Troy Denning, Aaron Allston e Karen Traviss), conta-se a história de como Jacen Solo, filho de Leia e Han Solo e sobrinho de Luke Skywalker, tenta conter secessões na Federação Galáctica empregando métodos que atraem a ira do tio, levando a uma cisão no Conselho Jedi.

Darth CaedusEm The Fate of the Jedi (de Aaron Allston, Christie Golden e Troy Denning), depois da queda de Jacen para o Lado Negro, muitos começam a enxergar os Cavaleiros Jedi como soldados rebeldes perigosos e instáveis demais para ficar sem vigilância; afora isso, prolifera uma nova ameaça, mais letal e insidiosa do que os Sith, despertada por Darth Caedus em sua odisseia de cinco anos[3].

O blog Epicamente Falando contém um artigo interessantíssimo intitulado 10 obras do Universo Expandido que todo fã de Star Wars deve conhecer. Confiram: http://epicamentefalando2.blogspot.com.br/2012/12/10-obras-do-universo-expandido-que-todo.html.

 

E termino por aqui, já é o bastante.

No Star Wars Day, concluo o post com a celebração dos Ewok ao fim de O Retorno dos Jedi. (Certo, sei que muitos, com razão, abominam os Ewok, julgando-os tolos e dispensáveis e ursinhos-carinhosos-demais-para-um-épico-como-Star-Wars. Parte de mim concorda com esses apontamentos. Só que outra parte de mim, mais nostálgica, se lembra de ter visto Star Wars pela primeira vez em VHS com 8 ou 9 anos de idade e… bem, esta segunda parte de mim ainda os acha engraçadinhos.) Fiquem então com uma das vitórias mais memoráveis do cinema e may the fourth be with you.

Anúncios

Uma resposta em “Literatura de Star Wars neste 4 de maio

  1. Pingback: Como será a literatura de ficção em 2043? | Além do Sol e da Lua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s