Além do Sol e da Lua – Capítulo 6

CAPÍTULO VI- De sábios e deusesDe sábios e deuses

O que devia fazer? Como fugir de uma vila-fortaleza cujas muralhas assomavam com espigões de doze, quinze metros de altura? Voando? Escavando um túnel subterrâneo? E como o Sr. Cahtóris sabia de sua topada com os Cavaleiros? Ah, abominável pergunta insistente! O garoto conseguia lidar com o dilema entre a curiosidade e sua vida, mas, se é que seus cálculos estavam corretos – e estavam, porque aquela sensação de vômito engolido na boca do estômago era bem real –, poderia satisfazer a curiosidade em detrimento de uma vida alheia, em detrimento da vida de seu irmão? Continuar lendo

Anúncios

Dicas do King

SKComo prometido, trago neste post alguns excertos do livro On Writing: a memoir of the craft, de Stephen King.

A obra é em parte uma autobiografia e em parte um acervo de dicas valiosas sobre a arte de escrever. Nela, King relata momentos-chave de sua trajetória como escritor, desde suas primeiras incursões no terreno da narração de histórias, na infância, até o acidente que se tornaria um divisor de águas em sua vida: o atropelamento em junho de 1999, que lhe deixaria sequelas físicas e psíquicas a serem superadas por nada menos do que sua dedicação à literatura.

Continuar lendo

Cenários fantásticos: Tolkien e a Terra-média

Terra-média

A paz bucólica do Condado. O labirinto antigo e nevoento que é a Floresta Velha. O aconchego da hospedaria Pônei Saltitante. O Topo do Vento. O repositório de sabedoria e de esperança que é Valfenda. Os ruídos agourentos e os ares pestilentos da Floresta das Trevas. Os majestosos salões de Moria, escuros após sua queda. A dourada Lothlórien. A imponente Minas Tirith. Eu poderia seguir adiante e enumerar os lugares fabulosos mencionados em O Silmarillion, mas, de Tolkien, por ora é melhor me limitar à Terra-média e a’O Senhor dos Anéis.

Continuar lendo

Nômades da Desolação – Parte 1

Nômades da desolação

– Então… você já pensou em cruzar a Linha da Vida, Soni? – perguntou Cari.

Por um instante Soni oscilou entre a irritação e o espanto, mas afinal deixou a primeira transparecer em sua face. Não entendia por que Cari insistia naquilo. Lançara a questão de repente, como se não fosse nada, empregando o tom distraído de quem interroga o sujeito sobre o que comeu no café da manhã. Eles só estavam passando um tempo juntos, aproveitando o concerto dos pássaros que ainda viviam, o perfume da grama que ainda não definhara, o vento fresco que ainda não cessara. “E o sol”, mirou-o lá em cima, estreitando a vista e sombreando-a com a palma à testa. “Enquanto ainda brilha e aquece.” Continuar lendo

Roland e José – ou: o que A Torre Negra e a poesia brasileira têm em comum para uma mente dada a viajar?

Em nome da honestidade literária (não sei se o conceito existe realmente, mas, ainda que não, ele faz algum sentido para quem o lê, o que é o bastante), aviso que este post é sobre nada. Trata-se de apenas mais uma divagação minha que gostaria de transpor ao papel.

Falo aqui de uma associação baseada puramente nas palavras de dois textos, uma associação que conduz a uma correlação entre dois personagens que nada teriam em comum  exceto em minhas ruminações disparatadas e sem qualquer rigor intelectual.

Continuar lendo

A Torre Negra pode ir para o Netflix

Via OMELETE. Autoria de Aline DINIZ.

O pistoleiroA Torre Negra (The Dark Tower), a adaptação dos romances de Stephen King, pode ir para o Netflix.

Em entrevista ao site Stuff, o presidente de programação do canal de streamingTed Sarandos, revelou que já conversou com Ron Howard sobre a possibilidade de produzir o projeto: “Da última vez que conversamos, a HBO estava indecisa – mas o projeto não está mais lá.

Continuar lendo

Entrevista de Stephen King no The Late Late Show

Passei só para postar o vídeo abaixo. É uma entrevista de Stephen King no programa The Late Late Show. Antiga, datada de agosto de 2012. Nada que valha o emprego da fórmula “old but gold”, porque nem tão velha nem tão brilhante, mas interessante ainda assim.

Continuar lendo