Além do Sol e da Lua – Capítulo 6

CAPÍTULO VI- De sábios e deusesDe sábios e deuses

O que devia fazer? Como fugir de uma vila-fortaleza cujas muralhas assomavam com espigões de doze, quinze metros de altura? Voando? Escavando um túnel subterrâneo? E como o Sr. Cahtóris sabia de sua topada com os Cavaleiros? Ah, abominável pergunta insistente! O garoto conseguia lidar com o dilema entre a curiosidade e sua vida, mas, se é que seus cálculos estavam corretos – e estavam, porque aquela sensação de vômito engolido na boca do estômago era bem real –, poderia satisfazer a curiosidade em detrimento de uma vida alheia, em detrimento da vida de seu irmão? Continuar lendo

Dicas do King

SKComo prometido, trago neste post alguns excertos do livro On Writing: a memoir of the craft, de Stephen King.

A obra é em parte uma autobiografia e em parte um acervo de dicas valiosas sobre a arte de escrever. Nela, King relata momentos-chave de sua trajetória como escritor, desde suas primeiras incursões no terreno da narração de histórias, na infância, até o acidente que se tornaria um divisor de águas em sua vida: o atropelamento em junho de 1999, que lhe deixaria sequelas físicas e psíquicas a serem superadas por nada menos do que sua dedicação à literatura.

Continuar lendo

Cenários fantásticos: Tolkien e a Terra-média

Terra-média

A paz bucólica do Condado. O labirinto antigo e nevoento que é a Floresta Velha. O aconchego da hospedaria Pônei Saltitante. O Topo do Vento. O repositório de sabedoria e de esperança que é Valfenda. Os ruídos agourentos e os ares pestilentos da Floresta das Trevas. Os majestosos salões de Moria, escuros após sua queda. A dourada Lothlórien. A imponente Minas Tirith. Eu poderia seguir adiante e enumerar os lugares fabulosos mencionados em O Silmarillion, mas, de Tolkien, por ora é melhor me limitar à Terra-média e a’O Senhor dos Anéis.

Continuar lendo

Nômades da Desolação – Parte 1

Nômades da desolação

– Então… você já pensou em cruzar a Linha da Vida, Soni? – perguntou Cari.

Por um instante Soni oscilou entre a irritação e o espanto, mas afinal deixou a primeira transparecer em sua face. Não entendia por que Cari insistia naquilo. Lançara a questão de repente, como se não fosse nada, empregando o tom distraído de quem interroga o sujeito sobre o que comeu no café da manhã. Eles só estavam passando um tempo juntos, aproveitando o concerto dos pássaros que ainda viviam, o perfume da grama que ainda não definhara, o vento fresco que ainda não cessara. “E o sol”, mirou-o lá em cima, estreitando a vista e sombreando-a com a palma à testa. “Enquanto ainda brilha e aquece.” Continuar lendo

Roland e José – ou: o que A Torre Negra e a poesia brasileira têm em comum para uma mente dada a viajar?

Em nome da honestidade literária (não sei se o conceito existe realmente, mas, ainda que não, ele faz algum sentido para quem o lê, o que é o bastante), aviso que este post é sobre nada. Trata-se de apenas mais uma divagação minha que gostaria de transpor ao papel.

Falo aqui de uma associação baseada puramente nas palavras de dois textos, uma associação que conduz a uma correlação entre dois personagens que nada teriam em comum  exceto em minhas ruminações disparatadas e sem qualquer rigor intelectual.

Continuar lendo

A Torre Negra pode ir para o Netflix

Via OMELETE. Autoria de Aline DINIZ.

O pistoleiroA Torre Negra (The Dark Tower), a adaptação dos romances de Stephen King, pode ir para o Netflix.

Em entrevista ao site Stuff, o presidente de programação do canal de streamingTed Sarandos, revelou que já conversou com Ron Howard sobre a possibilidade de produzir o projeto: “Da última vez que conversamos, a HBO estava indecisa – mas o projeto não está mais lá.

Continuar lendo

Entrevista de Stephen King no The Late Late Show

Passei só para postar o vídeo abaixo. É uma entrevista de Stephen King no programa The Late Late Show. Antiga, datada de agosto de 2012. Nada que valha o emprego da fórmula “old but gold”, porque nem tão velha nem tão brilhante, mas interessante ainda assim.

Continuar lendo